Mídias Sociais

Destaque

Assassinato de vereadora do Rio repercute entre políticos da Região dos Lagos e do Norte Fluminense

Publicado

em

Em destaque na foto, vereadora Marielle Franco (PSOL) foi morta a tiros quando seu carro foi alvejado no bairro do Estácio, no centro do Rio de Janeiro. Desde a noite de quarta, políticos da região se manifestaram nas redes sociais a respeito do assassinato da vereadora, que chocou o país

O assassinato da vereadora do Rio, Marielle Franco (PSOL), na noite da última quarta-feira, 14, quando voltava de um evento na Lapa, no centro do Rio, continua repercutindo em todo país, e também na Região dos Lagos e no Norte Fluminense.

Através das redes sociais, políticos da região se manifestaram sobre o crime, que vem sendo tratado como execução, e encheu as redes sociais em todo país, chegando até mesmo ao Trending Topics do Twitter mundial.

Em Macaé, o vereador Marcel Silvano (PT) e a ex-prefeita e ex-secretária de Educação, Marilena Garcia (PT), publicaram no Facebook mensagens sobre o assassinato da vereadora, pedindo justiça e lembrando a pouca participação das mulheres nos parlamentos brasileiros.

“O assassinato de Marielle Franco é uma inconsolável ‘página infeliz da nossa história’. A vereadora carioca simboliza a renovação concreta da política na capital e em todo Estado do Rio. Um golpe contra cada um de nós, uma dor que é preciso sentir com a indignação que grita a cada injustiça. O martírio de Marielle aprofunda o atual momento de exceção, agrava a crise política. Morreu aquela que representa as favelas, as mulheres de luta, o povo negro. Quantas são as mulheres nos parlamentos, e quantas negras? #Marielle é menos uma hoje. Eu sou menos um hoje. Eu sou, você é... Marielle. #EuSouPorqueNósSomos #Luto”, escreveu o vereador.

“Mataram a vereadora Marielle. Ativista feminista. Mulher. Estudiosa. Arrasada com o assassinato de Marielle. Mulher aguerrida, jovem, cheia de vida! Que tristeza, que tragédia. Devemos exigir investigação imediata e rigorosa. Inaceitável. Mexeu com uma, mexeu com todas”, publicou Marilena, lembrando slogan da campanha contra o assédio às mulheres na TV brasileira, em abril de 2017.

Candidata à Prefeitura de Rio das Ostras derrotada nas urnas nas últimas eleições municipais, em outubro de 2016, Winnie Freitas (PSOL) também homenageou sua colega de partido, que vinha de um evento pelas causas das mulheres negras quando o carro em que estava foi abordado por outro veículo no bairro do Estácio, e foi alvejado por 9 tiros, dos quais 4 atingiram a vereadora.

“Acordo hoje com braço e perna esquerdo dormente, ontem falava sobre a constante sensação de pálpebras tremendo, até que veio a notícia: não pode ser possível, não posso acreditar! Mais uma noite de insônia e pesadelo, assassinaram uma de nós! Assim como muitos dos que eu amo, ela lutava, ela era mãe como eu. Era socialista, da luta! A luta não é tranquila, ela leva nossa saúde, mas não podemos aceitar que nos tire a vida! Marielle Franco fez uma transmissão ao vivo horas antes da emboscada, estava numa atividade com mulheres negras. Ela era imprescindível, ela não será esquecida, não nos calarão! Marielle Presente, hoje e sempre!”, escreveu Winnie, ressaltando as palavras "assassinaram" e "presente", em alusão a outra hashtag que tomou as redes sociais brasileiras e mundiais nesta quinta-feira, 15, “Marielle Franco Presente”, frase que também intitulou nota divulgada pelo PSOL sobre o crime.

Em Casimiro de Abreu, o presidente da Câmara, Rafael Jardim (PSB), foi mais comedido, mas não esqueceu os familiares da vereadora e de Anderson Pedro Gomes, motorista do carro em que Marielle estava, e que também faleceu vítima do ataque à vereadora.

“Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos da vereadora Marielle Franco, do PSOL, que foi brutalmente assassinada na noite de ontem (quarta, 14), no centro do Rio de Janeiro! Nosso Estado do Rio e nosso Brasil precisam de paz! Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos do motorista Anderson Gomes que também foi executado ontem junto com a vereadora Marielle Franco, do PSOL! Nosso Estado do Rio e nosso Brasil precisam de paz!”, publicou o vereador, em duas postagens no Facebook.

Outra a se manifestar a respeito do assassinato da vereadora carioca foi a Prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco (PODE), lembrando que o caso aconteceu menos de uma semana dois do dia 8 de março, data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher.

“Nos solidarizamos e ressaltamos nosso total repúdio ao assassinato da vereadora Marielle Franco. No mês que comemoramos os avanços e as conquistas das Mulheres, vimos na noite de ontem (quarta, 14), mais uma voz se calando, uma vida sendo interrompida por causa de uma violência brutal, covarde e direcionada a quem defendia a garantia dos direitos e combatia as injustiças e a desigualdade social. Que Deus acolha Marielle e renove as forças em todas as pessoas que lutam por uma sociedade justa e inclusiva”, escreveu a prefeita.

 

 

 

Mais lidas do mês