Mídias Sociais

Polícia

Região dos Lagos ultrapassa Baixada Fluminense em número de mortes em 2017

Publicado

em

 

De 2014 a 2016 apenas duas cidades da Região dos Lagos estiveram entre as dez que mais matam no estado: Cabo Frio apareceu todas as vezes.

O ano de 2017 foi violento para a Região dos Lagos. É o que apontou um levantamento publicado pelo Jornal Extra, afirmando que quatro das sete cidades estão entre as dez com piores taxas de homicídio do estado.  A base da reportagem levou em conta os números do Instituto de Segurança Pública (ISP).

De acordo com os dados da publicação, a região registrou mais assassinatos para cada cem mil habitantes do que a Baixada Fluminense, tida como uma das áreas mais inseguras do Rio, pelo terceiro ano consecutivo.

De 2014 a 2016 apenas duas cidades da Região dos Lagos estiveram entre as dez que mais matam no estado: Cabo Frio apareceu todas as vezes, acompanhada em duas ocasiões por Araruama e, em uma, por Búzios.

Levando em conta as estatísticas até novembro, no ano passado, o Arraial do Cabo entrou na lista como a terceira colocada de todo o estado no número de homicídios.

O 25º Batalhão de Polícia Militar (25º BPM), localizado em Cabo Frio, é responsável por promover a segurança dos sete municípios da Região dos Lagos. Em entrevista ao Jornal Extra, o comandante da unidade, coronel André Henrique Oliveira da Silva, jogou a conta dos homicídios em seu território para a disputa entre facções rivais que comandam o tráfico de drogas.

“Temos feito um trabalho forte no combate ao tráfico, no sentido de retirar armas desses criminosos. Viramos o segundo semestre do ano passado com 31 casos a menos de letalidade violenta do que a meta de 194 diante de 2016”, disse o comandante à publicação.

Segundo as estatísticas do 25º BPM, o batalhão fez mais de uma apreensão diária no ano passado ente armas e simulacros. Foram 276 armamentos reais, incluindo dois fuzis, e 99 réplicas recuperadas no período.

Outro fator que impressiona é a soma de prisões e apreensões de adolescentes, mais de cinco por dia, somando 447 ao ano, segundo o batalhão. Além disso, em 2017, foram presos 1.580 adultos. Além disso, foram apreendidos 635 quilos de droga ao longo do ano.

Ainda de acordo com a reportagem, o comandante do 25º BPM afirmou que mais de 90% dos homicídios ocorridos nas cidades sob sua jurisdição têm relação com a disputa por pontos de venda de drogas.

Da Redação

  • Com informações do Jornal Extra

Mais lidas da semana