Mídias Sociais

Destaque

Polícia Civil busca respostas sobre a morte de turista catarinense. Saiba mais:

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Seis testemunhas foram ouvidas até agora. O delegado Renato Mariano, titular da 132ª Delegacia de Polícia ainda não tem um suspeito. 

A Polícia Civil investiga o caso da turista de Florianópolis (SC) Fabiane Fernandes, de 32 anos, encontrada morta em uma trilha em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, nesta quarta-feira (21). A hipótese de latrocínio, roubo seguido de morte, não está descartada.

Seis testemunhas foram ouvidas até agora. O delegado Renato Mariano, titular da 132ª Delegacia de Polícia ainda não tem um suspeito. Ele pediu a quebra do sigilo telefônico de Fabiane, analisou parte das informações até agora e já viu que o amigo da turista fez várias ligações pra ela no dia do desaparecimento. As equipes de investigação estão agora atrás de imagens de câmeras de segurança que possam apontar pra um suspeito.

O delegado acredita que além de ter sido assassinada, Fabiane também tenha sido estuprada ou vítima de latrocínio, já que a bolsa dela foi encontrada com documentos, mas sem dinheiro.

A foto publicada pela turista no instagram mostra a trilha no dia de seu desaparecimento.

Fabiane desapareceu no domingo. Ela era administradora e proprietária de uma pousada em Florianópolis, Santa Catarina. Segundo a polícia, a turista estava em Arraial do Cabo com um amigo que é representante comercial e também é de Santa Catarina.

No domingo (18) pela manhã ele saiu pra trabalhar e Fabiane decidiu fazer uma trilha. Antes, a jovem tomou café da manhã em uma de conveniência. Às 11 horas postou uma foto no perfil dela em uma rede social indicando que estaria em uma trilha no Pontal do Atalaia.=

Porém, a imagem mostra as trilhas da Prainha, no bairro de mesmo nome. Depois do post, Fabiane não deu mais notícias.

Local onde o corpo de Fabiane foi encontrado.

 

 

 

 

Foram três dias de buscas e o corpo da turista foi encontrado nesta quarta-feira à tarde. Fabiane estava nua e com sinais de agressão. O corpo foi encontrado na com a ajuda da cadela Toya, da Guarda Municipal, no meio da mata, na trilha do Morro da Cabocla, área dominada pelo tráfico de drogas.

A Polícia Civil aguarda o resultado do laudo da Polícia Técnica, que irá ou não apontar se a turista sofreu algum tipo de violência sexual. O corpo de Fabiane passou por autópsia na manhã desta quinta-feira (22) no Instituto Médico Legal (IML) de Araruama. Parentes da turista ainda não chegaram ao local.


 

Mais lidas do mês