Mídias Sociais

Destaque

Padrasto do bebê Ycaro, morto em Conceição de Macabu, se entrega à polícia e confessa o crime

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Robert Lopes Pereira, suspeito de ter matado o bebê Ycaro da Silva Sanches, de apenas nove meses, na última segunda-feira (24), em Conceição de Macabu, se entregou à Polícia Civil, na noite desta quarta-feira (26). O padrasto da criança se apresentou à 122ª Policial de Conceição de Macabu (122ª DP) e confessou o crime.

Robert estava foragido há três dias, possivelmente para fugir do flagrante. Ele compareceu à delegacia tarde da noite visando garantir sua segurança, evitando presenciar a revolta da população macabuense.

Durante depoimento dado à Polícia Civil, Robert, relatou ter dado um soco muito forte no pequeno Ycaro, pois ele estaria chorando muito. A informação é do delegado Jorge Veloso, da 122ª DP, que acompanha o caso.

Robert já havia sido preso anteriormente por envolvimento com o tráfico de drogas. O delegado informou que a mãe também deve responder por maus tratos. Nesta quinta-feira (27) ele passou por uma audiência de custódia no Fórum do município onde ocorreu o crime e depois foi levado para o o presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes.

Relembre o caso

O pequeno Ycaro morreu após ser brutalmente espancado, na última segunda-feira, no bairro São Henry.  A suspeita, até então, era de que Robert, padrasto da criança, tivesse cometido o crime.

A crueldade foi tanta, que o menor ainda teve algumas unhas arrancadas. Segundo a Polícia Civil, a mãe teria saído de casa e deixado o menino, com o padrasto e o irmão, de dois anos. Ao retornar, a mulher viu que a criança estava roxa e questionou ao companheiro, que respondeu que nada havia acontecido e fugiu em seguida.

"Pelos exames dá para notar que a criança apanhou muito e deve ter recebido pancadas ou sido jogada ao chão", disse o delegado da 122ª Delegacia Policial de Conceição de Macabu (122ª DP), Jorge Veloso.

Vizinhos chegaram a socorrer Ycaro para o Hospital Municipal Ana Moreira, no bairro Bocaína, mas ele faleceu após sofrer uma parada cardiorrespiratória. O corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Macaé. Segundo o laudo preliminar da necropsia, uma hemorragia interna, causada pelo rompimento do fígado foi apontada como a causa da morte.

Mais lidas da semana