Mídias Sociais

Polícia

Justiça condena chefe de quadrilha que atuava em Casimiro de Abreu a 62 anos de reclusão

Avatar

Publicado

em

 

A decisão foi proferida na última terça-feira (29), pela Vara Única da Comarca do município da Baixada Litorânea
Bertha Muniz

O principal suspeito de liderar uma quadrilha que atuava no tráfico de drogas em Casimiro de Abreu foi condenado em 1ª instância pela Justiça a 62 anos e quatro meses de prisão. A decisão foi proferida na última terça-feira (29), pela Vara Única da Comarca do município da Baixada Litorânea. Manoel Ramon da Cruz, de 42 anos, também é acusado por outros crimes como porte ilegal de arma de fogo e corrupção de menores. A quadrilha atuava, principalmente, nos bairros e comunidades conhecidos como “Industrial”, “Centro”, Professor Souza”, em Casimiro de Abreu. De acordo com a denúncia ajuizada pelo Ministério Público, os integrantes, chefiados por Manoel, eram ligados a uma facção criminosa que tinha como objetivo principal a venda de drogas em pontos mantidos na cidade. Manoel também adquiria e recebia de fornecedores e associados armas de fogo e munições de vários alibres, que também eram distribuídas para a quadrilha.
“Se constata que o acusado Manoel Ramon da Cruz, vulgo ‘Nenéo’, chefiava organização criminosa em Casimiro de Abreu, pois, além de receber a maior parte da carga de drogas e de controlar toda a sua logística de distribuição e contabilidade, definia a atuação dos demais membros do grupo, determinando, inclusive, que praticassem homicídios contra os desafetos ou mesmo delitos contra o patrimônio para angariar fundos para a facção”, destacou o juiz na sentença. Na decisão, o magistrado também ressaltou a motivação para o crime, demonstrada pelas ações praticadas pelo chefe da quadrilha. “Percebe-se que o acusado, portanto, não mede esforços para praticar crimes, fazendo disso o seu meio de vida. Os motivos dos crimes devem ser valorados negativamente, considerando que a formação da organização criminosa de alta periculosidade na comarca de Casimiro de Abreu se deu com o intuito de obtenção de lucro fácil por meio da prática criminosa, sendo ainda responsável por persos crimes ocorridos na cidade, geradores de consequências nefastas ao meio social, gerando intranquilidade pela instalação da facção criminosa”.
Também foram condenados os seguintes integrantes da quadrilha: Diogo Ribeiro da Silva e Deigmar da Silva, a 55 anos e cinco meses de reclusão; Franciele Beliene de Souza e Rodrigo Otz Garcia, a 51 anos e quatro meses; Marcos Antônio Ramon Carneiro, a 42 anos e dez meses; Edson Carlos do Nascimento e Marlon Oliveira Moraes, a 13 anos e seis meses; Matthews Vinicius de Almeida Silva Pereira, Fellype Borges Gomes Celestino e Alex Barbosa Eleutério, a cinco anos e dez meses; Marcio Douglas da Silva Souza e Paulo Henrique Cabral, a cinco anos e sete meses; Wibeson Quintino Soares Ferreira, Sthefani Barbara Feliciano da Silva, Tainá Roza Almeida, Rutilene Ramon, Jorge Lucas Campos da Silva, Alciene Ramos Carneiro, Diogo Cesar Dantas, Ariosvaldo Veloso Fialho e Sidinei Ramon, a quatro anos e 11 meses de reclusão.

Mais lidas da semana