Mídias Sociais

Destaque

Idoso envolvido em acidente que matou criança de dois anos em Rio das Ostras responderá por homicídio culposo

Bertha Muniz

Publicado

em

 

O depoimento dele foi colhido nesta tarde na Casa de Custódia Dalton Crespo de Castro, em Campos dos Goytacazes.

O idoso de 61 anos que atropelou uma mulher e os dois filhos em uma bicicleta na tarde desta terça-feira (9), em Rio das Ostras, passou por audiência de custódia na tarde desta quarta-feira (10). Ele foi responsável pela morte de uma das crianças, Richarlisson Ferreira Rodrigues, de dois anos. O depoimento dele foi colhido na Casa de Custódia Dalton Crespo de Castro, em Campos dos Goytacazes.

O corpo do menino foi sepultado também nesta quarta (10), às 15h, no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Âncora. O motorista do veículo responsável pelo atropelamento foi preso em flagrante pela Polícia Civil após o acidente. De acordo com a polícia, ele responderá por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e por lesão corporal das outras duas vítimas (a mãe e a irmã da criança). O Delegado da Polícia Civil responsável pelo caso,  Dr. Carmelo Santalúcia, disse o homem já possui passagens pela polícia, respondia alguns processos, um absolvido e alguns em andamento.

Em depoimento, o homem de 61 anos, disse que fazia uso de remédios de uso contínuo. O próximo passo da Polícia Civil é investigar junto ao Departamento de Trânsito (DETRAN), se o autor do crime comunicou ao órgão, sofrer algum tipo de transtorno neurológico na aquisição da sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Richarlysson estava acompanhado de sua mãe, de 25 anos, e de sua irmã de cinco, quando foram atingidos por um veículo. Segundo testemunhas o condutor desse veículo teria sofrido uma crise epilética e atropelado as vítimas.

No entanto, a Polícia Civil aguarda o resultado dos exames feitos no Instituto Médico Legal (IML) de Macaé, e o laudo final da perícia para concluir o inquérito. Ainda de acordo com o delegado Carmelo Santalúcia, será encaminhado um ofício ao Detran para saber se o fato dele ser portador de uma doença pré-existente consta no sistema e na Carteira Nacional de Habilitação.


 

Mais lidas do mês