Mídias Sociais

Destaque

Disque-Denúncia oferece R$5 mil de recompensa por informações de assassinos de PM morto em Cabo Frio

Bertha Muniz

Publicado

em

Polícia Civil divulgou imagens dos três criminosos no momento da tentativa de roubo a loja das Casas Bahia, no Centro da cidade.

A Polícia Civil divulgou imagens dos criminosos envolvidos no assassinato do cabo Luciano Batista Coelho, de 39 anos. O Disque-Denúncia está oferecendo recompensa de R$ 5 mil a quem der informações que auxiliem a Polícia a identificar e localizar o trio.

Lotado no 25°BPM, o cabo Luciano foi assassinado ao tentar impedir um assalto, em Cabo Frio, na Região dos Lagos, na noite desta quarta-feira (21). Ele estava fazendo um bico como segurança em uma farmácia, no Largo Santo Antônio, quando ouviu uma gritaria dentro das Casas Bahia localizada ao lado. Ele entrou na loja para verificar o que ocorria e se deparou com um criminoso armado.

No momento em que sacou sua arma para dar voz de prisão ao assaltante, o PM foi surpreendido por outros dois bandidos que davam cobertura ao comparsa. O cabo chegou a entrar em luta corporal, mas foi baleado e morreu ainda no local. Os criminosos fugiram levando a arma do PM, que estava há sete anos na corporação.  Quem tiver qualquer informação que ajude a Polícia deve ligar para o Disque-Denúncia através do número 2253-1177. Não é preciso se identificar e o anonimato é garantido.

O Comando do 25°BPM informou que o corpo do cabo Luciano está sendo velado na Capela de São Pedro da Aldeia, na Avenida Getúlio Vargas, Centro. O sepultamento será realizado às 16:00.

Elemento que atirou no policial.

Um dos três criminosos envolvidos no assalto.

 

 

 

 

 

 

 

 

Passado trágico

O PM matou a própria filha, de 11 meses, em fevereiro de 2015, com um disparo acidental, em São Pedro da Aldeia,também na Região dos Lagos. Segundo a polícia, o PM estava limpando um revólver calibre 38, que disparou e atingiu a cabeça da menina. A criança, identificada como Eloá, chegou a ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, mas não resistiu.

Luciano e a filha Eloá, morta em 2015.

Mais lidas do mês