Mídias Sociais

Economia

Estudo divulgado pela Firjan estima investimentos de 20 bilhões de reais no setor de gás do Norte Fluminense

Avatar

Publicado

em

 

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) divulgou no início deste mês dados de um estudo chamado “Rio a todo gás”, que mostra que o gás natural pode ter um papel estratégico na retomada econômica fluminense pós-pandemia do coronavírus.

O estudo elaborado pela Firjan traz propostas para destravar investimentos em gás natural, e que podem alcançar até 45 bilhões de reais no Estado do Rio, com destaque para a Região Norte Fluminense, onde o volume de investimentos pode chegar a 20 bilhões de reais.

Os recursos no Norte Fluminense, que seriam quase metade dos investimentos em todo o Estado do Rio, devem ser aplicados em infraestruturas essenciais para o escoamento, tratamento e transporte do gás natural, além de plantas de consumo industrial, como por exemplo, no segmento de fertilizantes e siderurgia.

“O Rio é o maior produtor brasileiro do energético e o gás natural assume fundamental importância como combustível estratégico na retomada econômica do país e do estado, principalmente no pós-pandemia. A Região Norte Fluminense é o 2º maior polo de produção de petróleo e gás do Brasil e terá um novo ciclo de desenvolvimento com a revitalização dos campos maduros da Bacia de Campos”, avalia a Firjan.

Ainda segundo o estudo da Firjan, a capacidade de geração termoelétrica a partir do gás natural no Norte Fluminense pode quadruplicar nos próximos 5 anos, podendo ultrapassar a marca de 10 usinas térmicas a serem instaladas na região.

A Firjan lembra também o desenvolvimento de projetos para instalaçao de terminais de GNL (Gás Natural Liquefeito) e UPGNs (Usinas de Processamento de Gás Natural), além de gasodutos de escoamento, em Macaé e no Porto do Açu, em São João da Barra.

“Porém, para destravar esses investimentos é preciso uma agenda de ações de curto prazo. Entre elas, estão a concreta implementação da regulamentação do mercado livre de gás natural pela Agenersa (Agencia Reguladora de Energia e Saneamento Basico do Estado do Rio de Janeiro). Já na esfera federal, é necessária a aprovação do Novo Marco Regulatório, a chamada Nova Lei do Gás”, analisa a Firjan, citando a aprovação do regime de urgência da matéria na Câmara Federal no último dia 29 de julho.

A Firjan entende que, em caso de aprovação do Novo Marco Regulário, a legislação vai facilitar o acesso das empresas privadas ao segmento de escoamento e transporte do gás natural, o que deverá aumentar a concorrência e reduzir os preços do produto.

“Esses são passos importantes para viabilizar a expansão do consumo de gás natural no Brasil e no Estado do Rio, e prometem contribuir para consolidar a posição fluminense nesse mercado, em especial a Região Norte Fluminense, que deve se estabelecer como um importante hub de gás no país”, concluiu a Firjan.

Mais lidas da semana