Mídias Sociais

Covid-19

Witzel decide sobre flexibilização da quarentena no Rio nesta quinta-feira (23)

Bertha Muniz

Publicado

em

 

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, deverá flexibilizar a quarentena no estado contra o coronavírus a partir de 1º de maio. Apesar de ainda estar em fase de análise juntamente com a Secretaria de Saúde e outras pastas, a nova medida de Witzel será focada, principalmente, no comércio, incluindo o da capital. O governador marcou para esta quinta-feira (23) uma reunião para avaliar o que fazer.

"Nesta quinta-feira farei uma análise do quadro para tomar uma decisão. Todas as secretarias estão envolvidas e oferecendo subsídios para uma proposta de reabertura gradual. Nossa preocupação é terminar os hospitais de campanha para podermos atender a população", disse Witzel.

A circulação de ônibus intermunicipais e a realização de cultos em igrejas, por exemplo, hoje proibidos, também estarão incluídos no pacote. De acordo com o último decreto publicado pelo governador, o isolamento social irá até o próximo dia 30.

Witzel e a equipe levarão em consideração diversos fatores como a disseminação da pandemia. Além disso, algumas regras serão adotadas. Em caso de lojas, mesmo abertas, serão proibidas as aglomerações. Funcionários e clientes terão de usar máscaras e álcool em gel. A maior preocupação do governo para a contaminação do Covid-19 são os municípios do Rio, Niterói e Volta Redonda. Por isso, é possível que, mesmo com a flexibilização, ainda haja restrições nestas cidades.

Witzel testou positivo para coronavírus e está em recuperação no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador. As reuniões desta quinta para debater o fim da quarentena serão realizadas por videoconferência, com a participação, entre outros, do secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, que também contraiu a doença

No estado do Rio, são 5.306 casos confirmados, sendo 3.587 na capital, e 461 mortes por coronavírus, segundo o boletim divulgado pelo governo nesta terça-feira, 21. Há ainda 204 óbitos em investigação.
No início do mês, Witzel já havia tomado algumas medidas neste sentido. No dia 7, ao mesmo tempo em que prorrogava até o dia 30 a quarentena, afrouxou restrições em 30 cidades do interior, onde não haviam sido registrados casos de Covid-19.

Mais lidas da semana