Mídias Sociais

Covid-19

Região Norte Fluminense se mantém na bandeira amarela do Mapa de Risco da Covid pela 3ª semana consecutiva

Publicado

em

 

A Região Norte Fluminense se mantém na bandeira amarela conforme a 36ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada na última sexta-feira (25) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), com risco baixo de contrair a doença pela terceira semana consecutiva.

Além da Região Norte, as regiões do Médio Paraíba, Serrana, dos Lagos e Metropolitana II se mantiveram na melhora do cenário epidemiológico desde a última análise. As regiões da Baía da Ilha Grande e Noroeste permanecem com bandeira vermelha, que representa risco alto. Centro-Sul e Metropolitana I estão em bandeira laranja de risco moderado.

A análise compara a semana epidemiológica 23 (6 a 12 de junho) com 21 (23 a 29 de maio) de 2021.

- Mesmo com a queda nos indicadores, é importante reforçarmos que a população precisa continuar se vacinando e seguindo as medidas de enfrentamento, como uso de máscara e álcool em gel, lavagem das mãos e evitar aglomerações. Neste momento, ainda não temos uma parcela importante da população imunizada. Por isso, mesmo quem já se vacinou deve manter as medidas de precaução recomendadas - diz o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

O Estado do Rio de Janeiro apresentou uma redução de 26% no número de óbitos, e as internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) caíram 35% na comparação entre as semanas epidemiológicas analisadas. As taxas de ocupação de leitos no estado, nesta sexta-feira (25), são 63% para leitos de UTI e 44% para leitos de enfermaria.

Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região.

Mais lidas da semana