Mídias Sociais

Covid-19

Prefeitura garante que doses vencidas da vacina AstraZeneca não foram aplicadas em Macaé

Publicado

em

 

A Prefeitura de Macaé esclareceu que não foram utilizadas doses da vacina AstraZeneca vencidas no município. Segundo matéria publicada pela Folha de São Paulo, registros do Ministério da Saúde indicavam que 11 doses do imunizante teriam sido aplicadas fora da validade. Os imunizantes com a validade expirada são de oito lotes importados ou adquiridos pelo consórcio. Em Macaé, todas as doses vencidas teriam sido usadas na primeira aplicação, na Casa da Vacina, e pertencem ao lote 4120Z005, com validade em 14 de abril.

A Secretaria Municipal de Saúde disse que o vencimento do lote, previsto para abril, foi entregue em uma remessa do Governo Estadual em 25 de janeiro e foi utilizada na campanha de vacinação até fevereiro. Ainda conforme a pasta, a Gerência em Vigilância e Saúde assegura que "o controle de verificação das datas, refrigeração, armazenagem e manipulação de todas as vacinas que compõem o Calendário de Imunização do município é realizado de forma rigorosa, com base em critérios definidos pelo Ministério da Saúde".

No Brasil, um total de 25.935 doses de oito lotes distintos da AstraZeneca foram aplicadas fora da validade. Metade dos lotes são de origem do Instituto Serum, da Índia, e a outra metade da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde).

As vacinas foram distribuídas aos municípios entre janeiro e março pelo Governo Federal, antes do vencimento. São quase 3,9 milhões de doses, das quais 140 mil não foram utilizadas dentro do prazo de validade, sendo que, até 19 de junho, 26 mil tinham sido aplicadas já vencidas.

Quem se vacinou com a fabricante AstraZeneca deve conferir o lote do imunizante na carteira individual de vacinação. Caso seja pertencente ao grupo após a validade, imunizado deve procurar uma unidade de saúde para orientações e acompanhamento. A recomendação é que seja aplicada uma nova dose, de acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19, pelo menos 28 dias depois de ter recebido o imunizante administrado de forma errada. Tomar a vacina vencida, na prática, é como se não tivesse se vacinado.

Mais lidas da semana