Mídias Sociais

Destaque

Médicos macaenses participam do XX Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica e Metabólica

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Três renomados cirurgiões de Macaé, responsáveis por cirurgias da obesidade e do aparelho digestivo, na rede municipal de Saúde, participaram, entre os dias 15 e 18 de maio, da 20ª edição do seu Congresso Nacional, com o tema “Tratamento Integrado – Cirurgia Bariátrica e Qualidade de Vida”.

O congresso, promovido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), ocorreu em Curitiba, no Paraná. Os cirurgiões Rafael Mussi, Márcio Barcellos e Lucas Brandão, representaram Macaé no evento, trazendo o que há de mais moderno e seguro na área de cirurgia bariátrica e metabólica para o Hospital São João Batista, onde são feitas as cirurgias pelo SUS.

Mais de mil pessoas participaram da programação que discutiu atualidades sobre cirurgia bariátrica e proporcionou a troca de experiência entre equipes de todo o país. Este é considerado o maior evento de cirurgia bariátrica no Brasil e acontece anualmente.

Na ocasião foram abordados temas atuais e relevantes do dia a dia do cirurgião bariátrico e dos demais profissionais que atuam na área, como psiquiatras, psicólogos, nutrólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e educadores físicos.
Na programação científica, também foram debatidos temas históricos e também avanços e perspectivas futuras da cirurgia bariátrica no Brasil e no mundo.

O evento trouxe, ainda, cursos pré-congresso, incluindo laboratório de habilidades laparoscópicas, de robótica, endoscopia bariátrica para cirurgiões, urgências e emergências bariátricas e ABLS (Advanced Bariatric Life Suport), entre outros.

*Cirurgias gratuitas em Macaé
No ano passado, a Prefeitura de Macaé, por meio da Secretaria de Saúde, firmou parceria com o Hospital São João Batista para realização de cirurgia bariátrica no município. Para o procedimento, é necessário que o paciente permaneça em acompanhamento no Ambulatório Especializado em Obesidade por, pelo menos, dois anos, para que se avalie a necessidade da indicação cirúrgica. Conforme diretrizes do Ministério da Saúde (MS), o processo cirúrgico é apenas uma ação dentro da linha de cuidado, sendo indicado apenas em casos específicos, estabelecidos pela Portaria 424, do MS.

Mais lidas da semana