Mídias Sociais

Covid-19

Gestantes e puérperas sem comorbidades serão vacinadas contra a Covid-19 nos dias 1º e 2 de julho em Macaé

Publicado

em

 

Macaé vai imunizar gestantes e puérperas com até 45 dias de pós-parto e sem comorbidades com a 1ª dose da vacina contra a Covid-19 a partir da próxima semana, conforme a Secretaria de Saúde. A aplicação da primeira dose para este grupo estava prevista para começar nesta quarta-feira (23), mas precisou ser adiada para os próximos dias 1º e 2 de julho.

A decisão da Secretaria Municipal de Saúde tem como base a Resolução SES-2323, assinada pelo Secretário Estadual de Saúde, Alexandre Cheppe, publicada na edição desta terça-feira (22) no Diário Oficial do Estado, que passa a exigir apresentação de prescrição médica que autorize a vacinação deste grupo.

Segundo o município, a ação de adiar o calendário em uma semana, permitirá que as gestantes e puérperas possam procurar os médicos com quem fazem o acompanhamento e o pré-natal para solicitarem a documentação. O novo calendário prevê a vacinação das gestantes e puérperas, sem comorbidades e acima de 25 anos, no período da manhã, na quinta-feira (1º). E, acima de 18 anos, na sexta-feira (2).

O calendário, de acordo com a pasta, foi dividido como forma de assegurar maior conforto e acesso das gestantes e puérperas aos polos de vacinação.

“Diante do número de doses entregues pelo Estado, vamos abrir a vacinação para as gestantes e puérperas nesta primeira fase. O nosso objetivo também é realizar a vacinação das lactantes que serão integradas ao calendário municipal quando recebermos uma nova remessa de vacinas”, explica o secretário adjunto de Atenção Básica, Luiz Carlos Braga.

A vacinação acontecerá nos polos fixos: Colégio Estadual Matias Neto, Estádio Cláudio Moacyr e Cidade Universitária (drive thru), além das unidades da Estratégia de Saúde da Família (ESF) da serra. Para receber a vacina, é necessário apresentar documento de identificação com foto, cartão do SUS ou CPF, cartão de Pré-Natal ou exames, além de comprovante de residência com endereço de Macaé.

A jornalista macaense Renatta Viana tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em maio, quando ainda estava grávida, e a segunda dose em junho, já com o filho Ravi nos braços. Ela comemora pela imunização como uma dose de esperança.

"É minha dose de esperança, que me deixou extremamente feliz em pensar que através do leite materno estou produzindo anticorpos e passando para o meu filho. Mas, me gera também uma certa tristeza, porque sei que muitas vidas se perderam e muitos não tiveram a mesma oportunidade que eu tive", lamenta Renatta, que afirma desejar que todos tenham acesso rápido à vacina. "Confio no SUS, confio na ciência. Precisamos conter essa pandemia e a melhor forma é se vacinar", finalizou.

O coordenador de apoio logística da vacinação, Pedro Henrique Moreno, afirmou que, em reunião com o prefeito Welberth Rezende, ficou acertado que a vacinação na cidade vai seguir sem interrupções, enquanto houver doses disponíveis.

"Vamos tentar o máximo possível para vacinar o maior número de pessoas no menor tempo possível, sem esgotar os profissionais da vacinação", garantiu. Pedro disse ainda que haverá uma maior cobrança na entrega das doses pelo Governo do Estado, com envio de "ofícios todos os dias, até acertarem a divisão das vacinas".

Mais lidas da semana