Mídias Sociais

Cultura

Solar dos Massa, em Cabo Frio, lança livro “Do Mar à Mesa: A Pesca e a Culinária Típica da Região do Cabo Frio”

Publicado

em

 

Evento gratuito será realizado na próxima terça-feira )25), às 19h.

 

Da redação

O Solar dos Massa, em Cabo Frio, realiza na próxima terça-feira (25) o lançamento do livro “Do Mar à Mesa: A Pesca e a Culinária Típica da Região do Cabo Frio”. O evento gratuito será realizado às 19h. A obra, produzida pela Sophia Editora, foi escrita pelo professor de Gastronomia, Bebidas e Eventos, Fernando Melo, do IFF (Instituto Federal Fluminense). O evento será aberto ao público.

O livro fala sobre o sistema de pesca artesanal, principalmente com redes de arrastos, que acontece nas praias da região, abordando o período entre as décadas de 1930, quando houve a instalação do Porto do Forno em Arraial e 1960 com o início das operações da Companhia Nacional de Álcalis, levando em conta a forma como a comunidade se relacionava com a pesca, o papel dos atores (pescadores, salgadeiras, comerciantes) e os hábitos alimentares. Um verdadeiro apanhado da região pela ótica das práticas culinárias, trazendo produtos, pratos típicos e ingredientes naturais da Região dos Lagos, por meio do mar, da Lagoa de Araruama e da restinga.

Fernando é natural do Rio de Janeiro, mas mora em Arraial do Cabo, cidade onde a família reside, há 18 anos. De acordo com o autor, ele encontrou registros de familiares no município, desde 1780. "Isso fez com que eu criasse um vínculo muito grande com a região como um todo. Meus tios são pescadores e minha mãe cozinha muito bem. Ela foi uma das motivadoras pra eu que escolhesse a gastronomia. Eu cresci vivendo e ouvindo as histórias do passado local, principalmente da forma como eles se alimentavam", declarou o escritor.

O trabalho é fruto de uma pesquisa para defesa do Mestrado na Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ao todo, foram dois anos para a conclusão da dissertação e três meses para a elaboração do livro. "Como professor de gastronomia, a sequência da vida acadêmica é algo natural. E por ter esse vínculo, estudar a culinária local é um assunto de grande importância para que possamos preservar a nossa memória e divulgar esse passado pras gerações futuras. Eu tenho um filho de 2 anos e 8 meses e isso também foi uma motivação para deixar algo registrado, já que todas essas informações são de um período onde as pessoas não tinham acesso a esse tipo de registro. São relatos basicamente orais, então foi preciso fazer um trabalho para aproveitar a narrativa dessas pessoas que estão em idade avançada, e fazer com que esses conhecimentos ficassem registrados para as gerações futuras. Espero que  a minha pesquisa não seja um produto final de toda uma cultura, mas que sirva de motivação para outras pessoas trazerem à tona e valorizem mais a culinária regional, disse Fernando.

Crédito:  Ascom/Cabo Frio


 

Mais lidas do mês