Mídias Sociais

Cultura

Instituições culturais de Macaé recebem subsídio da Lei Aldir Blanc

Publicado

em

 

Daniela Bairros

Treze instituições culturais de Macaé, além de microempresas e pequenas empresas do setor da cidade e que foram contempladas a receberem os benefícios financeiros da Lei Federal Aldir Blanc começaram a receber os recursos. A lei foi sancionada em junho e repassa R$ 3 bilhões de auxílio financeiro emergencial ao setor da cultura, um dos afetados devido à crise da Covid-19.  Foram contempladas entidades que atenderam os requisitos da Chamada Pública, divulgada por meio da Portaria 03/20, da Secretaria Municipal de Cultura.

As instituições foram habilitadas para receber recursos do Fundo Municipal de Cultura (FMC), disponibilizado pelo governo Federal para assistir o segmento durante o período de calamidade pública em decorrência da pandemia de Covid-19, por força das medidas de isolamento social. As entidades foram classificadas em três categorias. Onze instituições incluídas na categoria I receberam R$ 21 mil. Uma, na categoria II, foi subsidiada com R$ 15 mil; e outra, na III, com R$ 9 mil.

Segundo a prefeitura, estes espaços culturais ou grupos atuavam no município há ao menos um ano, antes de precisarem interromper as suas atividades. Depois do período de calamidade pública, eles ficarão obrigados a garantir, no montante mínimo de 10% do valor total recebido, a realização de atividades destinadas, prioritariamente, aos alunos de escolas públicas ou de atividades em espaços públicos de sua comunidade, de forma gratuita e em intervalos regulares.

Os contemplados na categoria I foram: FP Áudio, Lyra dos Conspiradores, Ciem H2, Escola de Música Tom, Resolve, Quiosque Match Point, Cardim & Cardim Ltda, Rodrigo Cancella, Ambar, AP Bastos, Gigi Confecções. Na categoria II; Farah Cultural e na categoria III; Quintal do Mundo.

 

Crédito: Divulgação

Mais lidas da semana