Mídias Sociais

Cultura

“Faça você mesmo” surge no mercado de artesanato e ensina técnicas rápidas

Daniela Bairros

Publicado

em

 

 

Em Macaé, a loja Arte Magazine, localizada no bairro Visconde de Araújo, oferece suporte para obtenção de vários materiais artesanais e para  festas. 

 

Daniela Bairros

 

O atual cenário econômico que o país enfrenta, alto índice de desemprego, está fazendo com que muitas pessoas adquiram um “plano b” para obtenção de renda. O artesanato tem sido um meio muito procurado para ganhar dinheiro e até mesmo tem servido de “terapia” para muitos . E muitas técnicas surgiram e que ensinam, de modo rápido, a confeccionar peças e produtos. Entre estas técnicas, o "faça você mesmo", que tem se tornado cada vez mais comum e difundido pela internet e redes sociais. São vários tutoriais com vídeos, dicas, passo a passo, inclusive de projetos de marcenaria. E são muitas as vantagens encontradas. Em Macaé, a Arte Magazine atende o público que aderiu ao "faça você mesmo". Localizada no bairro Visconde de Araújo (Rua Vila Muriá, 119), a loja, sob a direção de Sérgio Paschoal e Josiane Marcelino, fabrica há 15 anos, peças em MDF e comercializam produtos para decoupage, feltros e tecidos, scrapbooking, material para pintura, pintura em tela, biscuit e corte a laser personalizado. A loja, que também funciona pela internet através do site www.artemagazine.com.br, atende artesãs, noivas, debutantes, escolas, igrejas. Tudo é enviado para todo o Brasil.

O "faça você mesmo", segundo Sérgio Paschoal, é a tendência do mercado. E no artesanato, como ele explica, é muito fácil e rápida. “Ao ver uma foto na internet, por exemplo, de um casamento de uma celebridade e sonha com isso. Com o "faça você mesmo" é possível fazer. A pessoa vem aqui na loja, nos mostra o que quer, e nós, também pensando na economia, oferecemos o suporte, transformando a ideia em realidade. E a pessoa mesmo pode escolher o material, como o papel, guardanapo para fazer decoupage ou pintura, detalhes em acrílico espelhado ou em MDF”, explicou.

A Arte Magazine não atende apenas a cidade de Macaé, mas toda região. Na loja, os clientes encontram produtos para artesanato, festas, como casamento, para debutantes, formaturas, lembrancinhas e peças personalizadas com nomes.

E sempre se atualizando nas tendências do mercado, a Arte Magazine participa, todos os anos,  de importantes feiras e eventos, como a Rio Artes Manuais, realizada em março e a Mega Artesanal no estado de São Paulo.

As vantagens do “faça você mesmo”

São diversas as vantagens e os motivos para que você mesmo produza o artesanato ou crie o próprio projeto, ao invés de comprar algo pronto. Entre as vantagens: é barato, terapêutico, dá a sensação de dever cumprido, pode servir como fonte de renda adicional e permite maior personalização das suas coisas.

O “faça você mesmo” pode ser uma forma de renda extra para a família em tempos de crise, de dificuldades financeiras, ou até como forma de trabalho, até mesmo após a aposentadoria. E muitos têm adotado a técnica para obtenção de renda.

Com 39 anos de idade, o macaense André Luis Corrêa de Abreu há mais  10 anos produz artesanato com jornal. Atualmente, segundo ele, vive do artesanato, além de fazer empadinhas. Frequentemente, expõe seus produtos no Grupo de Artesãos de Macaé e ministra aulas de artesanato no Centro de Convivência do Idoso, na Ajuda de Baixo, para idosos acima de 60 anos de idade. “Ensino tudo o que eu sei e aprendi com artesanato. E com muito entusiasmo, os alunos aprendem muito bem. E eu também aprendo com eles. E a cada dia avançamos e melhoramos”.

Mesmo com produção pequena, André comemora as vendas dos produtos confeccionados por ele, com jornal. “Sempre gostei de fazer artesanato e vou continuar. São peças lindas e tenho obtido bom retorno financeiro”.

A dona de casa Gisele Amaral Daudt, de 33 anos, depois que teve um bebê não voltou a trabalhar. Ela adotou o artesanato como meio de renda. Começou por curiosidade há cerca de cinco anos. Pesquisou técnicas e um dia resolveu comprar material e produzir. “Os primeiros não ficaram bons, e foi com o passar do tempo que melhorei. Amo o que eu faço, o artesanato. Aprendi bastante coisa, como por exemplo, preparar o mdf para ter um acabamento perfeito. E logo de cara me identifiquei com o meu. E há cinco anos estou fazendo e não quero parar”.

Atuando no artesanato com parceria com o esposo Adriano Mota da Silva, Fernanda Conceição dos Santos da Silva também aprendeu bastante coisa com o faça você mesmo. Artesã, ela há cinco anos está atuando no meio. Quando surge alguma necessidade de ter que aprender uma técnica nova, por exemplo, faz pesquisas na internet. Se tem algo novo, se aprimora. Segundo ela, o artesanato surgiu como válvula de escape. “Meu marido teve que fazer um tratamento de saúde e eu tive que sair do trabalho para cuidar dele. Nos familiarizamos com o artesanato. As pessoas começaram a gostar do nosso trabalho. Começaram a pedir, a fazer encomenda e agora estamos aqui trabalhando com o que gostamos. É muito gratificante”, concluiu.

Mais lidas da semana