Mídias Sociais

Cultura

Em Cabo Frio, Praia do Siqueira recebe primeira edição do Pôr do Sol Histórico nesta sexta-feira (15)

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Evento será às 17h. Concentração será em frente à Igreja de São Pedro, às margens da Lagoa de Araruama

Daniela Bairros

A primeira edição do Pôr do Sol Histórico em Cabo Frio será nesta sexta-feira (15) na Praia do Siqueira. O evento será às 17h e a concentração em frente à Igreja de São Pedro, às margens da Lagoa de Araruama, com abordagem sobre a pesca e as salinas da cidade, além de um tributo a Raul Seixas, com poesias de Paulo Coelho.

O evento será realizado pela Secretaria de Turismo de Cabo Frio e é aberto à população em geral, entre moradores e turistas.

O Pôr do Sol Histórico foi realizado pela primeira vez em outubro do ano passado, no Morro da Guia, que desde então recebe uma edição mensal, sempre na última sexta-feira de cada mês.

“O Pôr do Sol Histórico é um complemento do projeto  Caminhos da História, que teve início em 2017 e foi retomado no atual governo após um tempo paralisado. A proposta de ambas as ações é promover o turismo histórico no município, que é considerado sétimo mais antigo do Brasil. Enquanto no Caminhos da História levamos conhecimento sobre os vários monumentos da área central da cidade, no Pôr do Sol abordamos fatos da história da cidade, com um toque de música e poesia”, explicou Paulo Cotias, superintendente de Turismo Histórico e Social.

Os dois projetos são apenas alguns dos vários que estão sendo realizados com foco no incentivo ao turismo histórico e cultural, tanto para moradores quanto para visitantes, entre eles, atendimento por historiadores em pontos como Forte São Mateus, Morro da Guia, Igreja de Nossa Senhora da Assunção, Fonte do Itajuru e Charitas.

“Com esses projetos temos a oportunidade de consolidar um novo atrativo turístico que contribua para a valorização da nossa história e de um novo paradigma para essa atividade. São ações de extrema importância, também, para o turismo interno, pois muitos dos nossos moradores nunca tiveram a oportunidade de conhecer e desfrutar da nossa riqueza histórica”, afirmou Cotias.

Crédito: Divulgação


 

Mais lidas do mês