Mídias Sociais

Cultura

7° Festival da Sardinha Samba e Choro começa nesta quinta-feira (12) na orla da Praia dos Cavaleiros, em Macaé

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Evento terá a participação de um dos maiores nomes do choro, Silvério Pontes, com o grupo Choro na Rua.

Daniela Bairros

O 7° Festival da Sardinha Samba e Choro começa nesta quinta-feira (12) em restaurantes localizados na orla da Praia dos Cavaleiros, em Macaé. O evento terá a participação de um dos maiores nomes do choro, Silvério Pontes, com o grupo Choro na Rua. O festival segue até o próximo sábado (14), com entrada franca, a partir das 18h. Na quinta-feira ( 12), o show começa às 20h30. Já na sexta-feira (13) a música ficará por conta de Amanda Amado, a partir das 21h. No sábado, a roda de samba encerrará o festival com Lita Lopes, Jorge Benze, Malaka e Merica.

Os restaurantes que integram o Polo Gastronômico estarão comercializando pratos a R$ 10 nos estandes montados na orla e nos próprios estabelecimentos. Food bikes, com opções de sobremesas, estandes com as cervejarias artesanais, vinhos, pasteis de sardinha e porções de batata estarão à disposição do público.

O evento é uma realização do Polo Gastronômico Praia dos Cavaleiros e vai abrir  o calendário 2018 dos  festivais gastronômicos. Os restaurantes participantes do 7°  Festival da Sardinha Samba e Choro são: Luigi, Picanha do Zé, Estação da Praia, Parada do Chopp, Ilhote Sul, Durval, Frutos de Goiás, Kebab Store/ Delícias da Cheff e Mokaie Steak & Burger.  A expectativa é que haja um consumo aproximado de duas toneladas de sardinha para elaboração dos pratos.

O compositor e trompetista Silvério Pontes quer mais é botar o choro na Rua em Macaé. Afinal de contas, dia 23 de abril é o Dia Nacional do Choro, data em homenagem ao aniversário de Pixinguinha, o artista que consolidou nosso mais genuíno gênero musical. E Silvério Pontes – que lançou, em 2016, seu CD autoral “Reencontro”, pelo Selo Des Arts, comemorando seus 40 anos de carreira – está animado e preparado para as múltiplas comemorações. "Vamos começar as comemorações em Macaé com esse cenário lindo que é a orla dos Cavaleiros", destaca animado.

Trompetista fluminense associado ao choro e projetado no universo da música instrumental brasileira ao formar dupla com o trombonista sergipano José Alberto de Mattos, o Zé da Velha, Silvério Pontes ficou mais conhecido pela atividade de músico, tendo tocado e/ou gravado com ícones da MPB e do samba como Beth Carvalho, Elza Soares, Francis Hime, Luiz Melodia, Paulinho da Viola e Tim Maia (1942 – 1998). Mas o músico é também compositor. No álbum Reencontro, lançado pelo selo Des Arts, Silvério sopra no virtuoso trompete 12 temas de lavra própria.

No primeiro disco de repertório autoral, o compositor abre o leque rítmico, indo do choro ao jazz. Tributo à Praia de São Francisco, situada em Niterói (RG), cidade que abriga o artista, Polca da praia (Silvério Pontes e Leandro Saramago) puxa o fio autoral desenvolvido ao longo das 12 faixas do disco. A propósito, a cidade fluminense inspirou também a valsa De Niterói à Vacaria (Silvério Pontes e Bebê Kramer). O grupo Choro na Rua se apresenta em Macaé pela primeira vez.

"É o Choro mais vivo do que nunca graças ao talento e à garra de feras como Silvério Pontes e Zé da Velha, que insistem na missão de valorizar a música instrumental brasileira, democratizando o acesso a ela e formando público. Eles levam nosso Choro para as ruas e rodas do país e Macaé não podia ficar de fora", disse o responsável pelas atrações musicais dos eventos do Polo Gastronômico, Renato Martins.

 

Crédito: Divulgação

 

 


 

Mais lidas do mês