Mídias Sociais

Cultura

3º FESTIM – Festival de Esquetes de Macaé premia as três melhores apresentadas durante o evento

Publicado

em

 

Foram premiadas: 3º lugar Ina (Cria Expressões Humanas), 2º lugar O Marido da mãe d’água (Agromelados) e 1º lugar Infância à luz de velas (Teatrama).

Daniela Bairros

Foi um final de semana de excelentes apresentações. O 3º FESTIM – Festival de Esquetes de Macaé reuniu atores, atrizes, produtores, diretores. No palco, as apresentações encantaram o público que compareceu à Rinha das Artes, no Centro.

O festival, que é uma mostra competitiva de teatro de cenas curtas, premiou as três melhores esquetes. São elas: 3º lugar Ina (Cria Expressões Humanas), 2º lugar O Marido da mãe d’água (Agromelados) e 1º lugar Infância à luz de velas (Teatrama). Foram premiados também: Prêmio especial do júri – Yuki- Onna (Depois do Ensaio), Melhor atriz – Manuela Lelis (Paranóia 33). Indicadas: Alice Byspo (Ina/Cria Expressões Humanas), Cláudia Byspo (Mulher Só/Cria Expressões Humanas), Manuela de Lelis (Paranóia 33/TBC) Melhor ator: Carlos Augusto. Indicados: Carlos Augusto (A Guerra  não será invisível / Cabruni), Estêvão Resende (Infância à Luz de Velas / Teatrama), Wallace Matheus (O Sopro/ Risco Teatral), Melhor texto: Infância à Luz de Velas: Ina (Cria Expressões Humanas), Infância à Luz de Velas (Teatrama) e O Sopro (Risco Teatral), Melhor direção: Perla Duarte. Indicados: Erika Ferreira (Marido da Mãe d’água/Agromelados), Perla Duarte (Infância à Luz de Velas/Teatrama) e Rodrigo Sena (O Sopro/Risco Teatral).

Segundo o idealizador e produtor do festim, Aldebaran Bastos, o festival superou as expectativas. “Tivemos trabalhos belíssimos apresentados por 18 grupos que vieram de outras cidades. Foi uma competição saudável e que começa a inserir Macaé no circuito dos festivais”, afirmou. Ainda segundo ele, durante todo o ano vai existir um circuito de esquetes, como o Festival de Niterói, de Cabo Frio, de Petrópolis, de Friburgo, Macaé e Rio Bonito. “No estado do Rio de Janeiro existe um circuito de festivais e Macaé começa a ser inserido. O festim foi muito bem recebido pelos que vieram de fora”.

No ano passado, o evento arrecadou 200 quilos de alimentos. Neste ano, a arrecadação chegou a 300 quilos, que foram doados ao Recanto dos Idosos, localizado no bairro Barreto, e à Fazenda Boa Esperança.

O  Festim 2019 já começa a ser pensado, segundo Aldebaran. “As perspectivas para o ano que vem são as melhores.  Precisamos ampliar o espaço e vamos já começar a correr atrás. E deixar o espaço da Rinha das Artes, que é grande berço do Festim, para se tornar nosso espaço de alojamentos, oficinas, de festas, bares. E no que vem teremos a primeira festa do Festim, que vai reunir todo mundo depois que o evento acabar. E todos os parceiros institucionais que estiveram conosco neste ano, já confirmaram para 2019. Agradeço a todos, aos jurados e ao público presente.  Vamos ampliar um dia a mais de festival, devido à grande procura dos grupos. Estamos muito felizes pela realização do festival nesse ano. Foi muito trabalho e empenho de todos. No ano que vem tem mais. Levar mais arte, mais cultura às pessoas”, concluiu.

Crédito: Joseph Layber

 

 

 


 

Mais lidas do mês