Mídias Sociais

Covid-19

Macaé tem aumento de quase 100 casos nas últimas 24 horas e chega a 1.175 casos confirmados do novo coronavírus

Avatar

Publicado

em

 

Um dos pioneiros no Estado do Rio nas medidas de isolamento social e restrição de circulação adotadas para a prevenção da pandemia do novo coronavírus, o município de Macaé registrou 93 novos casos da doença nas últimas 24 horas, sua maior alta de casos nesse período desde o início da pandemia, em março desse ano.

Os números foram divulgados na manhã desta sexta-feira, 5, pela Secretaria de Saúde, que revelou ainda que mais uma pessoa, um paciente de 58 anos, morreu vítima do vírus que já ceifou a vida de 39 pessoas na cidade.

De acordo com a prefeitura, que não divulga mais informações sobre os casos fatais para preservar as famílias das vítimas, o paciente que faleceu contaminado pelo coronavírus nas últimas 24 horas também apresentava comorbidades, que são doenças que podem ser agravadas pela contaminação do vírus.

Em sua conta no Twitter, o prefeito Dr. Aluizio (PSDB), comentou na manhã desta sexta-feira, a situação da pandemia em todo o país e lembrou a ausência de planejamento das esferas superiores da república, principalmente do governo federal.

“100 dias de Covid (sigla, em inglês, para Coronavirus Disease), 34 mil mortos, curvas ascendentes em quase todo país, e a ausência plena de um plano que possa unir o país contra o vírus. Tudo certo pra dar errado”, escreveu Dr. Aluizio.

Os dados se referem ao novo recorde nacional de mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, que, na última quinta-feira, 4, atingiu 1.473 casos fatais, totalizando 34.021 mortes em 71 dias de pandemia em todo o país, e superou o número de mortos pelo vírus em 94 dias de pandemia na Itália, que até então registrava 33.689 mortos.

Com os números divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde, o Brasil se tornou o 3º país do mundo com maior número de casos fatais do coronavírus, atrás apenas dos Estados Unidos (EUA), que registravam 107.979 mortes, e do Reino Unido, com 39.987 casos fatais da doença.

E as ponderações de Dr. Aluizio sobre a falta de ações de combate à pandemia, principalmente do governo federal, têm ainda mais gravidade lembrando que há 21 dias, o país está sem ministro da Saúde, desde que o ex-ministro Nelson Teich, que ficou menos de 1 mês no cargo, deixou a pasta após desentendimentos com o presidente da república sobre o uso de cloroquina e hidroxicloroquina para o combate ao vírus, mesmo os remédios não sendo recomendados pela Organização Munidial da Saúde (OMS).

Ainda usando sua conta no Twitter para responder a um internauta, o prefeito de Macaé revelou também que apesar da curva ascendente de casos nos últimos dias na cidade, as medidas de prevenção tomadas pela prefeitura ainda impedem o colapso na rede pública municipal de Saúde, que vem conseguindo manter leitos disponíveis para o tratamento dos casos mais graves da doença.

“São 108 leitos Covid Macaé. Destes, 44 são de terapia intensiva (CTI, Centro de Tratamento Intensivo). A taxa média de ocupação tem oscilado entre 50% e 70% dos leitos. O tempo de permanência é de 20 dias [no] CTI, e 7 dias [na] enfermaria”, publicou Dr. Aluizio, nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira.

Em apenas uma semana, desde a última sexta-feira, dia 29 de maio, o número de casos confirmados do novo coronavírus em Macaé saltaram de 799 para os atuais 1.175, representando um aumento de 47,05% em apenas 7 dias.

De acordo com informações divulgadas pelas secretarias estaduais de Saúde, o país tem mais 610 mil casos confirmados do novo coronavírus, sendo mais de 60 mil casos só no Estado do Rio de Janeiro, sendo 1.692 casos novos nas últimas 24 horas, além de registrar mais de 6 mil mortes.

Mais lidas da semana