Mídias Sociais

Cidades

Servidor lotado na Defensoria Pública de Cabo Frio é investigado por corrupção passiva

Avatar

Publicado

em

 

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Cabo Frio, denunciou à Justiça o servidor lotado na Defensoria Pública Rodrigo Pessanha Campos, por corrupção passiva. O MPRJ requereu ainda a suspensão da função pública do denunciado.

De acordo com o órgão, o servidor público enviou mensagem telefônica à vítima, através do aplicativo WhatsApp, na qual solicitou a quantia de R$ 500,00 para que o processamento de sua ação de divórcio fosse adiantado.

A ação é identificada como ato de ofício infringindo dever funcional, já que que na condição de servidor da Defensoria Pública, órgão que, por determinação constitucional, tem por função a prestação de assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem a insuficiência de recursos, jamais poderia ter realizado tal solicitação.

Mais lidas da semana