Mídias Sociais

Cidades

São Pedro da Aldeia fica entre as cidades da Região dos Lagos que mais gerou empregos em 2019

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

O município de São Pedro da Aldeia foi a cidade da Região dos Lagos, que apresentou o maior salvo positivo no primeiro quadrimestre do ano com relação a geração de empregos. Os dados foram divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

Na contramão do cenário regional e estadual, São Pedro da Aldeia chegou ao quarto mês do ano com maior número de contratações do que demissões. Somente no mês de abril, 111 empregos formais foram abertos na cidade. O resultado é a diferença entre o número de admissões, que totalizaram 387, e de desligamentos que somaram 276 pessoas, no período. Já no Estado do Rio de Janeiro, a taxa de desemprego subiu para 15,3% no primeiro trimestre de 2019, atingindo 1,358 milhão de pessoas, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o secretário de Governo, Eronildes Bezerra, o resultado positivo se deve, principalmente, à uma política focada no desenvolvimento econômico do município, que tem sido facilitador para a chegada de novas empresas. “De 2013 a 2018, foram abertas 3.540 empresas, o que dá uma média de duas empresas abertas por dia na cidade. Somente no primeiro quadrimestre de 2019, 339 empresas foram inauguradas em São Pedro da Aldeia. Além disso, nós superamos a média de tempo para a abertura de uma empresa no município, pela Junta Comercial, de dois para 2.26 dias. São Pedro da Aldeia hoje está na contramão de tudo o que se tem visto no Estado e isso graças ao entendimento e ao trabalho do prefeito, junto a todas as equipes, reconhecendo a importância da iniciativa privada no fomento da nossa economia e da geração de emprego e renda”, disse.

Segundo Eronildes, a criação dos polos comerciais e industriais, a localização estratégica, os incentivos fiscais e as cessões de terrenos públicos podem ser atribuídos aos índices favoráveis do município na geração de novas oportunidades de trabalho. “A gente tem grandes âncoras que são os polos logístico, automotivo e industrial instalados aqui, que trouxeram grandes empresas, como a Coca-Cola, a Minas Rio, a Emapel, a Fiat, a Renoult, entre outras. Quando se cria esses condomínios industriais, automaticamente, se traz emprego e renda. A novidade é que nós estamos fechando agora com o grupo do Ceasa, que já está com uma área de mais de 200 mil metros quadrados no bairro São Mateus, próximo ao grupo Sonda. Ao todo, serão 280 boxes instalados e a estimativa é que passem por ali cerca de um milhão de pessoas por mês. Então, a tendência é que todo esse movimento venha para São Pedro da Aldeia. Se Deus quiser, nós vamos conseguir fechar o ano de 2019, por pior que sejam as expectativas no Estado, com a geração de muitos empregos na cidade”, destacou.

Segundo o balanço oficial do Caged, no primeiro quadrimestre de 2019, São Pedro da Aldeia teve o seu melhor resultado na área de Comércio, com 824 novos trabalhadores empregados, a maior parte pelo setor varejista. Em segundo lugar, aparece o segmento de Serviços, com 621 admissões registradas na área, sendo a maioria dos setores de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação.

Outro destaque para o ingresso de pessoas no mercado de trabalho tem sido o Banco de Oportunidades Municipal do Centro de Atendimento ao Trabalhador (CAT). O órgão, que funciona sob a gestão da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, trabalha na captação e encaminhamento de currículos para as empresas interessadas, além fornecer apoio a processos seletivos e realizar cadastros para o Programa Jovem Aprendiz. Atualmente, o Balcão de Empregos aldeense conta com cerca de 10 mil currículos cadastrados e ativos, incluindo Pessoas com Deficiência, e 500 cadastros atualizados de jovens, entre 14 e 24 anos de idade, em busca do primeiro emprego.

Mais lidas da semana