Mídias Sociais

Cidades

Procon Macaé divulga dados sobre os mais de 5,4 mil atendimentos neste primeiro semestre

Publicado

em

 

Consumidores de Macaé que se sentirem prejudicados na relação de consumo, podem procurar auxílio na sede e nos postos de atendimento da Procuradoria Adjunta de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Macaé)

Importante órgão do governo, cuja função é auxiliar os consumidores que acreditam ter seus direitos prejudicados, a Procuradoria Adjunta de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Macaé) informou já ter realizado 5.416 atendimentos em apenas 6 meses.

Em detalhes, o Procon Macaé detalhou que promoveu 663 audiências de conciliação, sendo a maioria das reclamações do público feminino, com 54,11%. O detalhamento do perfil dos consumidores também traz outros dados importantes.

Entre eles, está a divisão das faixas etárias dos registros. A faixa etária de 31 a 40 anos ficou com 21,73% dos registros, seguida dos consumidores de 51 a 60 anos, com 19,47%, dos que possuem idade entre 41 a 50 anos, com 19,34%.

“Já quando as ocorrências são por assunto, os serviços essenciais como telefone, energia e água, ficam com 37,90%. Em sua maioria, estão relacionadas a cobranças e cortes indevidos do fornecimento do serviço, além de aumentos injustificados. Os serviços financeiros representam 27,30% e, os produtos 19,84%, como fogão, geladeira e máquina de lavar com defeitos”, acrescentou o Procon Macaé.

O órgão informou ainda o ranking das empresas que mais receberam reclamações. Líder do ranking, a concessionária de energia, Enel, aparece com 439, seguida de perto pela Telefônica Brasil – Vivo, que somou 427, com a Claro S/A, fechando o ingrato pódio, com 365 reclamações.

Em 4º lugar, mais uma empresa de telefonia, a Oi Telefonia fixa, surge com 363; seguida pela Bradescard, com 199); pela Via Varejo S/A - Ponto Frio/Casas Bahia, com 181; pela Tim Telefonia, que teve 149; pela BRK Ambiental, alvo de 142 reclamações; pela Oi Telefonia móvel, com 134; e pelo Banco Itaú, que foi citado em 123 reclamações de consumidores macaenses.
Antes com status de secretaria e hoje atrelado à Procuradoria Geral do Município, o Procon Macaé tem como objetivo orientar, educar, proteger e defender os consumidores contra abusos nas relações de consumo.

“Oferecemos um serviço gratuito, buscando resolver as demandas dos consumidores, evitando a necessidade de recorrer ao Poder Judiciário", explica o procurador adjunto de Proteção e Defesa do Consumidor, Carlos Fioretti.
O Procon Macaé funciona no Centro Administrativo Luís Osório (CEALO), com atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O prédio está localizado na Avenida Presidente Feliciano Sodré, 466, térreo, no centro da cidade.

Além do atendimento na sede, o órgão também oferece os serviços de proteção ao consumidor nos pontos de atendimento da Barra, de Córrego do Ouro e do Sana, cobrindo também a região serrana do município.

Para receber orientações e esclarecer dúvidas sobre seus direitos enquanto consumidores, os moradores da cidade ainda podem utilizar o telefone 2791-9088 ou buscar informações através do email do órgão, no endereço, procon@macae.rj.gov.br.


 

Mais lidas do mês