Mídias Sociais

Cidades

População se despede de Telmo Moraes em homenagem realizada na Praia do Forte, em Cabo Frio

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

O mar azul da Praia do Forte, em Cabo Frio, foi o local escolhido para que familiares, amigos e colegas de trabalho se despedissem de Telmo Moraes Teixeira Filho, fundador do Museu do Surf.

A homenagem contou com a presença de muitos surfistas com pranchas e stand up’s, remadores com canoas havaianas, velejadores, colecionadores de carros antigos e do moto clube Tubarões. Durante o encontro foram feitas orações e uma corrente no mar. Um dos filhos de Telmo, o surfista Caio Teixeira, jogou as cinzas do pai na água e fez questão de falar sobre ele.

“Meu pai pertencia a muitas tribos. Ao mesmo tempo que ele era surfista, gostava de andar de moto e carros antigos. Ele tem uma sementinha em cada lugar e ver o quanto ele era um cara querido é muito bom", contou Caio.

O prefeito de Cabo Frio, dr. Adriano Moreno, e o secretário de Cultura, Fernando Chagas também foram homenagear o fundador do Museu do Surf. “A gente está vendo as pessoas tão alegres e entusiasmadas e o Telmo era isso, era um jovem, no seu espírito, nos seus desejos e sonhos. Acredito que esse era o maior legado dele, a energia, alegria, entusiasmo pela vida e o legado histórico que é o acervo do Museu do Surf”, conta Fernando.

Já Dr. Adriano Moreno ressaltou o quanto Telmo foi importante para o município. “Conheço Telmo desde a década de 70, quando ele escolheu Cabo Frio para morar. Ele foi uma pessoa muito importante, divulgou vários esportes e a própria cidade. Assim que soubemos da sua morte, decretarmos 3 dias de luto oficial, pois é uma perda grande. Hoje é um momento de tristeza, mas também de muita força, porque ele deixa um legado e uma história de superação”, diz o prefeito.

Telmo faleceu último dia 19, vítima de falência múltipla dos órgãos. Após sofrer três AVC’s (acidente vascular cerebral) Telmo estava internado há cerca de um mês no centro de terapia intensiva (CTI) do Hospital Lourenço Jorge, no Rio de Janeiro. O corpo de Telmo foi cremado em uma cerimônia reservada somente para a família, na terça-feira, 21, no crematório Memorial do Carmo, no bairro do Caju, Rio de Janeiro.


 

Mais lidas do mês