Mídias Sociais

Cidades

Parceria garante mais um aliado no combate ao coronavírus em Macaé

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Assim como os cuidados para prevenção que não podem ser negligenciados pela população, as ações para o mapeamento da pandemia que viabilizam políticas para o combate ao vírus devem se manter ativas para evitar que a COVID-19 alcance números ainda mais preocupantes. E, em Macaé, a parceria entre a BRK Ambiental, o Instituto SENAI de Inovação em Química Verde (ISI QV) e a Prefeitura vai iniciar uma nova etapa, com a realização de testes RT-qPCR. As coletas vão acontecer nesta terça (24), quarta (25) e quinta-feira (26) e o objetivo é ampliar os dados que permitem definir as melhores estratégias para conter o avanço da doença na cidade.

A amostra contará com moradores do bairro Lagomar, o maior da cidade, que é um dos quatro pontos representativos do mapeamento que utiliza um método inédito de detecção do coronavírus no esgoto que chega às estações de tratamento em Macaé. No total, serão 300 kits de coleta para testes em pessoas previamente selecionadas por meio do Centro de Triagem do Paciente com Coronavírus de Macaé (CTC).

O RT-qPCR é considerado o principal teste de COVID-19 pela Organização Mundial da Saúde e é capaz de verificar a presença de até mesmo uma única cópia do material genético do vírus e de fazer um diagnóstico mais preciso da COVID-19 em pacientes suspeitos. Trata-se de uma técnica amplamente estabelecida ao redor do mundo e que tem alto índice de acerto ao diferenciar um paciente infectado do não-infectado.

- A parceria entre o Instituto, a Prefeitura de Macaé e a BRK Ambiental foi fundamental para que fosse montado um esquema eficiente de logística, que possibilitará a coleta das amostras clínicas em Macaé, transporte das amostras para os laboratórios no Rio de Janeiro, análise e liberação dos resultados em até 48 horas. Será utilizado o protocolo Charité, sugerido pelo Ministério da Saúde, para realização dos testes moleculares pela técnica de RT-qPCR – pontua Alex Queiroz, pesquisador do Instituto SENAI de Inovação em Química Verde.

Informação para prevenção

Após análise, os resultados obtidos com os testes RT-qPCR poderão ser cruzados com os dados obtidos por meio das coletas para identificar a presença do material genético do vírus SARS-CoV-2 na rede de esgoto de Macaé, que, além da Estação Elevatória Principal do Lagomar inclui ainda amostras de outros três pontos da cidade: Estação Elevatória Confort, na orla dos Cavaleiros; Estação de Tratamento Centro e no Hospital Público de Macaé.

- Com esta ação, a BRK Ambiental busca apoiar os cientistas e os gestores públicos na coleta de dados para guiar as políticas de combate ao coronavírus e tentar conter a sua disseminação. Macaé tem sido referência de seriedade e persistência na luta contra a COVID-19 e nos orgulhamos de fazer parte deste esforço - pontua Sinval Andrade, diretor da BRK Ambiental no Rio de Janeiro.

As coletas dos materiais seguem até janeiro nestes pontos estratégicos do município com a expectativa de que os resultados permitam estimar o real nível de contaminação na cidade, considerando que uma parcela dos pacientes com COVID-19 pode não apresentar sintomas evidentes, porém são capazes de transmitir o vírus para outras pessoas. A pesquisa inédita, cujo objetivo primário é desenvolver um novo método baseado na técnica de ultrafiltração para pré-tratamento das amostras de efluentes, é realizada em parceria pela BRK Ambiental, o Instituto SENAI de Inovação em Química Verde (ISI QV), ligado à Firjan SENAI, e a Vitaltec Engenharia. A ação conta com o apoio da Prefeitura Municipal e financiamento da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII).

 

Mais lidas da semana