Mídias Sociais

Cidades

Defesa Civil realiza vistorias e interdita locais de possível risco em Cabo Frio

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Mesmo após a chuva, a Defesa Civil de Cabo Frio continua realizando ações de vistoria na cidade. Alguns locais precisaram ser interditados,  devido aos ricos.

Nesta quinta-feira, 23, uma inspeção aconteceu no prédio da Procuradoria Geral do Município, no Braga, onde os funcionários ouviram um estrondo e rapidamente acionaram o órgão, que isolou a área.

Segundo o superintendente da Defesa Civil, Jorge Velloso, os funcionários da Procuradoria estavam trabalhando quando ouviram um barulho e rapidamente acionaram a Defesa Civil. “Ao chegar ao local, a equipe percebeu que o piso do segundo andar apresentava rachaduras, imediatamente evacuou e isolou a área. Nessa vistoria técnica de hoje vamos abrir o gesso e verificar o tamanho dessa rachadura”, explicou.

Já na Estrada Velha de Búzios, uma casa está interditada após o desabamento do segundo andar. O peso dos escombros afetou a estrutura da casa debaixo e a família precisou deixar o local. A equipe foi acionada por volta das 18h20, de quarta-feira.

“Quando chegamos no endereço informado para verificar a ocorrência, já encontramos o segundo andar em escombros: caiu laje e paredes. Com o peso, a estrutura do primeiro andar também foi afetada.  Nós retiramos a família e os móveis. Oferecemos o abrigo, mas como eles tem um comércio em frente, preferiram ficar lá”, contou o superintendente.

O órgão também esteve atuando em Tamoios. De acordo com a Prefeitura, em uma casa, localizada na Rua das Raposas, em Unamar, os agentes constataram que as paredes e as colunas da casa apresentam rachaduras. Com isso, toda a estrutura da construção está comprometida e ameaça desabar a qualquer momento. Por isso, a casa foi interditada, o local isolado, e a família foi orientada a sair do local.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Josué Velloso, uma chuva mais forte ou uma rajada de vento pode derrubar a casa.

“A estrutura está muito abalada. Dá pra ver através das rachaduras. Isolamos o local visando a segurança da família”, disse ele. A família ainda não decidiu se vai para a Casa de Passagem da Assistência Social ou se vai para a casa de parentes.

Outras duas casas no loteamento Sítio do Gravatá também foram vistoriadas pela Defesa Civil, algumas rachaduras foram encontradas, porém, em proporções menores. Os proprietários foram orientados a entrar em contato com as construtoras responsáveis para tomar as devidas providências.

O órgão continua de plantão para os chamados de emergência pelos telefones 199 e 99958-0199.

 

Balanço Geral -

A Defesa Civil recebeu 130 ocorrências entre sexta-feira, 17, e a manhã desta quinta, 23. Desde então, sete imóveis foram e permanecem interditados: dois no Jacaré e um no Jardim Peró, dois na Gamboa, um em Tamoios e um no Guriri. Ao todo, 28 pessoas estão desalojadas e dez desabrigadas. A Prefeitura ofereceu abrigo, mas todos optaram em ir para casa de parente, inclusive a família que estava na Casa de Passagem da Secretaria de Assistência Social

Mais lidas do mês