Mídias Sociais

Cidades

Cidades da Região dos Lagos começam a se prevenir para o caso do vazamento de óleo chegar ao Rio

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

As cidades de Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo estão se antecipando e planejando ações, caso o vazamento de óleo, que atinge o nordeste, chegue ao Estado do Rio de Janeiro. Nesta sexta-feira, 08, às 14h, haverá uma reunião entre representantes desses municípios e da Petrobras. O objetivo do encontro é tratar sobre os Materiais de Contenções, EPI´S e Embarcações para contenção de vazamento de óleo que a Petrobras deveria ter entregado para os municípios, no dia 26 de setembro, conforme acordado no termo que foi assinado, no dia 9 de agosto de 2019, após as cidades serem afetadas com um vazamento de óleo.

De acordo com Secretário de Meio Ambiente, Fernando Savino, foi entregue ao Ministério Público um ofício comunicando o não cumprimento do acordo, pois os equipamentos não foram entregues até o momento. “Já estamos traçando estratégias para a possível chegada de óleo, os pescadores estão em alerta para avisarem caso encontrem manchas no mar,” explicou o secretário.

Esses materiais são de grande importância para essa ação preventiva, tendo em vista, que essas cidades já participaram de um curso de capacitação referente à prevenção de derramamento de óleo nos mares. No treinamento foram passadas técnicas de contenção e recolhimento de óleo no mar e limpeza da faixa de areia, mas é necessário ferramentas.

O Presidente da Associação de Pescadores de Búzios, Amarildo Chita de Sá ressaltou que está em contato permanente com os barcos pesqueiros buzianos, recebendo a todo o momento informações atualizadas caso apareça alguma mancha. “Com as redes de sardinha é possível fazer a retirada de óleo, caso sejam encontradas no mar, os pescadores estão preparados. Nossa maior preocupação é não deixar chegar à areia das praias,” falou Amarildo.

Amarildo Chita acredita que apesar da distância, o óleo pode chegar à costa da Região dos Lagos devido ao vento forte nordeste e as correntes marítimas voltadas para o Sul.

Vale ressaltar que a responsabilidade da retirada do óleo cabe ao Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

 

Mais lidas da semana