Mídias Sociais

Cidades

Cabo Frio manterá cinco pontos de vacinação contra Febre Amarela até o dia 26

Avatar

Publicado

em

 

A ideia é organizar a estrutura para o início da Campanha de vacinação contra a gripe

 

 

Thaiany Pieroni

 

A cidade de Cabo Frio informou que manterá cinco pontos exclusivos de vacinação contra a Febre Amarela, até o dia 26 de maio. O objetivo é organizar o atendimento para o início da campanha contra a influenza, que começa nesta segunda-feira, 17, sem deixar de atendar as pessoas que ainda não foram imunizadas contra a febre amarela.

De acordo com a prefeitura, a população vai continuar recebendo as doses nas seguintes unidades: ESF Caiçara, ESF Itajuru, ESF Jardim Peró, PSF Florestinha e ESF Cajueiro.

A medida foi estabelecida após reunião da Saúde Coletiva com os coordenadores de ESFs e com os enfermeiros de salas de vacinas, que constataram baixa procura pela dose nesses dois dias de intensificação. E também pela necessidade de estruturar as unidades de saúde para a realização da campanha contra a gripe Influenza, que vai até o dia 26 de maio.

Vale lembrar que a vacinação contra Febre Amarela é feita em pessoas entre 9 meses até 60 anos de idade. Para aqueles que têm imunidade baixa, é necessário uma atenção maior. Entre as pessoas que possuem restrições à vacina estão: grávidas e que estão amamentando, pessoas que são portadoras de HIV/AIDS, com câncer, acima de 60 anos, pessoas com alergia a ovo, com doenças do fígado, com hipertensão arterial sem controle adequado e com diabetes descontrolada. Quem faz uso crônico de corticoides só pode ser vacinado com avaliação médica.

Enquanto o público-alvo da campanha contra influenza é formado pelas crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas, indivíduos maiores de 60 anos, indivíduos de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (comorbidades) e professores das redes pública e privada.

Mais lidas do mês