Mídias Sociais

Cidades

Cabo Frio está de luto pela morte do fundador do Museu Internacional de Cabo Frio, Telmo Moraes

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

A Região dos Lagos está de luto pela morte do fundador do Museu Internacional do Surf de Cabo Frio, Telmo Moraes. A Prefeitura de Cabo Frio decretou três dias de luto oficial e uma homenagem será realizada na cidade.

Telmo faleceu na noite deste domingo, 19, um dia após completar 66 anos. Sua morte foi causada pela falência múltipla dos órgãos, após sofrer três AVC’s (acidente vascular cerebral).  Telmo estava internado há cerca de um mês no centro de terapia intensiva (CTI) do Hospital Lourenço Jorge, no Rio de Janeiro.

O corpo de Telmo será cremado em uma cerimônia reservada somente para a família, na terça-feira, 21, às 18h, no crematório Memorial do Carmo, no bairro do Caju, Rio de Janeiro. No sábado, 25, a família e amigos irão se reunir em uma homenagem, às 8h, na Praia do Forte, na direção do Museu do Surf.

"Vamos reunir todos os amigos com suas pranchas e fazer uma homenagem para esse cara que foi incrível, no sentido real da palavra. Ele será cremado e suas cinzas serão lançadas ao mar. Não vá de preto, por favor, meu pai detestava roupa preta, vamos com muitas cores, pois ele merece ser recebido nos céus com muita festa", disse Caio Teixeira, filho do Telmo.

 

Sobre Telmo: Nascido em 18 de agosto de 1952, Telmo era um ícone do surfe carioca. Natural do Rio de Janeiro, ele morou em São Paulo, mas escolheu Cabo Frio para viver, em 1978.  Aqui, criou 4 dos seus 5 filhos e fundou o Museu Internacional do Surf. Apaixonado pelas ondas, o surfista começou o acervo na sala da casa onde morava, no bairro Peró. Em 2012 o Museu ganhou um novo espaço, na Praça da Cidadania, próximo à Praia do Forte, tornando-se um dos locais mais visitados de Cabo Frio, com cerca de 200 mil visitantes de janeiro de 2018 até hoje.

Mais lidas da semana