Comissão está agindo contra as ações de membros de facções criminosas, que iniciaram uma disputa por território ontem (9), no Lagomar.

Durante coletiva de imprensa, realizada nesta quarta-feira (10), o prefeito de Macaé, Dr Aluízio, afirmou que montou um gabinete de crise para agir contra as ações de membros de facções criminosas, que iniciaram uma disputa por território na última terça-feira (9), no Lagomar, em Macaé.

Participaram da reunião, o delegado da Polícia Federal, Felício Laterça, o subcomandante do 32º Batalhão de Polícia Militar (32º BPM), major Hudson, o secretário adjunto de Segurança, André Luiz Ramos Monteiro e a comandante do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (GAM), tenente-coronel Clarisse Antunes Barros.

À frente da operação estão os delegados da Polícia Federal, Felício Laterça; Civil, Rodolfo Maravilha Franco; e o Comandante da 32º BPM, Coronel Marco Aurélio Vollmer.

“Ninguém irá se furtar do dever de promover a segurança pública. O governo irá agir em parceria com as forças policiais, colocando os agentes municipais em pontos estratégicos e concentrando todas as táticas em um só local em prol do bem estar de toda a sociedade”, disse o prefeito.

Quatro suspeitos já estão presos. Um quinto suspeito foi baleado na cabeça durante um confronto na Favela da Linha, também na terça e foi operado pelo prefeito, Dr. Aluízio. A respeito da cirurgia, o líder do Executivo foi enfático.

“O que deve ficar claro é que sou um médico. Rico ou pobre, bonito ou feio, eu não escolho quem opero. Uma pessoa baleada no crânio tem todo o direito de ser submetida a um tratamento médico e em momento nenhum ninguém deve se esquivar dessa responsabilidade”, ressaltou Dr Aluizio.

A respeito da comunicação entre traficantes de facções rivais que declararam guerra em Macaé, incluindo as ordens para atear fogo em ônibus e o toque de recolher ao comércio da região central, o delegado Felício Laterça, afirmou que a Polícia Federal entrou na operação para agir com seu setor de inteligência.

“Estamos em monitoramento e iremos dar uma resposta a esses bandidos. Pedimos à população que colabore com denúncias anônimas”, enfatizou Laterça. O delegado criou um canal de comunicação da Polícia Federal, para que a população possa oferecer denúncias com garantia de anonimato. O novo Disque Denúncia da PF Macaé já está funcionando, através do whatsApp (22) 99811-6968.

Autor: Bertha Muniz

Foto: Bruno Campos/SECOM