O benefício não se estende aos vereadores e é destinado somente aos servidores da Casa Legislativa. 

 

Os funcionários da Câmara Municipal de Macaé irão receber em parcela única neste mês, o abono natalino no valor de R$1 mil. O benefício não se estende aos vereadores e é destinado somente aos servidores da Casa Legislativa.

Segundo o presidente da Câmara, Eduardo Cardoso, devido a algumas mudanças administrativas implantadas pela Casa, que proporcionaram uma economia no orçamento, o benefício não representará impacto significativo nos gastos para o pagamento de pessoal.

“Com o dinheiro que economizamos, pudemos investir na valorização e no reconhecimento do trabalho dos servidores para que eles se sintam estimulados a atender cada vez melhor o cidadão macaense.”

O presidente também relatou que o desejo dos vereadores da Mesa Diretora é que todos os servidores de Macaé recebessem o benefício. “Mas compreendemos a dificuldade do prefeito, uma vez que o número de servidores do Legislativo é muito inferior ao do Executivo”, disse.

Segundo o Legislativo, o abono de Natal dos servidores foi estudados antes de ser concedido, através de estudos de impactos financeiros com o objetivo de garantir a viabilidade do pagamento. Mesmo com menos dinheiro em caixa, a prática de devolver recursos à prefeitura também está assegurada.

Quando fechar as contas do ano, a Direção da Casa divulgará o valor que retornará aos cofres da prefeitura, assim como fez nos anos anteriores. Nos quatro últimos anos, a Presidência devolveu R$ 40 milhões.

Grávida de oito meses do seu primeiro filho, Gesiane Gomes utilizará o valor nos preparativos para a chegada do bebê. “Foi uma surpresa esse abono e fiquei muito feliz. Já fiz um orçamento e conseguirei comprar o guarda-roupa e a cômoda para guardar o enxoval”, comemorou.

Para Fátima Silva, a realização do sonho da casa própria estará mais próxima de acontecer. “Estou construindo o meu imóvel para sair do aluguel e usarei todo o valor na compra de material para terminar a obra mais rápido”, disse.

Bertha Muniz