O aumento na produção, segundo a estatal, representa cerca de 75% das 53 unidades instaladas na bacia.

A Petrobras está executando uma reforma profunda em 39 plataformas de petróleo instaladas na Bacia de Campos, visando aumentar a produção. Tal aumento representa cerca de 75% das 53 unidades existentes na bacia. Com isso, segundo informou a Abepetro (associação que reúne empresas prestadoras de serviços para indústria petrolífera), a expectativa é investimentos na ordem de R$ 3 bilhões, com a geração de pelo menos três mil empregos diretos.

Considerada a maior da história da Bacia de Campos, a contratação de serviços vai beneficiar principalmente o município de Macaé, uma das cidades mais afetadas devido à crise, provocada pela redução dos investimentos da Petrobras e pela queda e preço do petróleo, com o fechamento de cerca de 40 mil vagas. Empresários da região também indicam um aquecimento na procura de companhias do setor.

A estatal está realizando, atualmente, uma licitação dividida em três lotes para serviços de manutenção em 25 plataformas. Participam da concorrência 19 empresas nacionais e estrangeiras. Segundo a estatal, a contratação será concluída até abril de 2018, com a mobilização do serviço a partir de junho do ano que vem. O valor estimado deve superar a cifra de R$ 1 bilhão, e a expectativa é a geração de mil vagas.

Outra licitação está prevista com prazo de entrega das propostas para este mês. Neste caso, são dois lotes que envolvem serviços em 14 plataformas. Essa licitação também deve gerar investimentos da ordem de R$ 1 bilhão e mais mil postos de trabalho. Para 13 dessas unidades, a Petrobras realizou uma primeira licitação meses atrás, que foi dividida em quatro lotes, com expectativa de movimentar outro R$ 1 bilhão. Concluída em agosto, levaram os contratos as companhias O Engenharia, da francesa Vinci, e a CSE, da Aker.

Todas as licitações envolvem serviços de manutenção das plataformas, de pintura a troca de diversos componentes, como tubulações, e serviços de caldeiraria. Esses contratos englobam a encomenda para construção e, depois, a instalação dos equipamentos nas plataformas.

As licitações da Petrobras vão contribuir para aumentar a produção de petróleo na Bacia de Campos, que responde por 44% da produção nacional de petróleo, com um total de 1,483 milhão de barris por dia. A região vem perdendo espaço para o pré-sal da Bacia de Santos, que já responde por 44,7% da produção nacional, com 1,507 milhão de barris diários.

Em Macaé, onde o petróleo responde por 70% dos empregos gerados, as licitações da Petrobras podem trazer dinamismo para a cidade. Segundo projeções do prefeito da cidade, Aluízio dos Santos Júnior, a expectativa é que sejam gerados 25 mil empregos na cidade nos próximos anos. Esse número é reflexo do novo momento do setor, que inclui os planos de revitalização dos campos maduros e os leilões feitos pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

“Hoje, o setor emprega cerca de 50 mil pessoas em Macaé. As reformas que a Petrobras quer fazer nas plataformas são fundamentais para gerar emprego e aumentar a produção de petróleo. O ano de 2017 foi importante pelas mudanças nas regras de operador único no pré-sal e no regime de partilha”, declarou  o prefeito.

Da redação

Crédito: Divulgação