Inscrições seguem até o dia 20 de novembro. Interessados devem enviar os textos para o email: [email protected]

 

Daniela Bairros

O Concurso Literário de Crônicas, que visa incentivar autores macaenses a mostrar as suas obras inéditas, bem como oportunizar o surgimento de novos talentos literários, está com inscrições abertas até o dia 20 de novembro. Os interessados devem enviar seus textos originais, assinados, para o e-mail [email protected], digitados em Times New Roman, fonte 12, espaço entrelinhas de 1,5, em papel tamanho A4, no formato PDF.

O concurso é realizado pela Universidade Livre, da Secretaria Adjunta de Ensino Superior, vinculada à Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura. A ficha de inscrição consta do Anexo I do edital do concurso, com identificação do autor, autorização para a publicação dos trabalhos, caso selecionados, e outras informações necessárias, e deve ser encaminhada no mesmo e-mail de inscrição até 20 de novembro.

Toda a população de Macaé pode participar do concurso. Os trabalhos devem ser apresentados em Língua Portuguesa e cada autor poderá inscrever uma crônica inédita, ou seja, que não tenha sido publicada, com tema livre em, no máximo, duas laudas.

As obras serão analisadas pela Comissão Organizadora composta por cinco membros. Serão escolhidos três trabalhos que receberão troféus como prêmios de participação e um certificado de mérito acadêmico. O resultado das crônicas escolhidas será divulgado no Portal da prefeitura:www.macae.rj.gov.br, a partir do dia 23 de novembro.

O coordenador da Unilivre, Paulo de Tarso, disse que a ideia do concurso é incentivar o surgimento de novos talentos literários no gênero que imortalizou escritores como Machado de Assis, José de Alencar, Olavo Bilac, João do Rio, Rubem Braga, Fernando Sabino, Luís Fernando Veríssimo e Clarice Lispector, entre outros.

Um pouco da história

O edital de lançamento do concurso, publicado no portal da prefeitura, traz um pouco da história da crônica, gênero que, em outras línguas, está presente desde o tempo em que nem existia a escrita como é conhecida hoje, em que as histórias eram narradas oralmente ao redor das fogueiras, geralmente à noite. Depois, desenvolveu-se na Europa, principalmente no século XIX, com a imprensa, e o jornal tornou-se seu lugar preferido.

Crônica deriva de “chronos’, tempo em latim, mostrando em seu nome a relação direta com os acontecimentos do dia-a-dia, fazendo com que coisas rotineiras ou insignificantes que acontecem enquanto se vive, ganhem uma outro significado, em linguagem simples, tom leve e estilo direto. Torna-se uma conversa entre escritor e leitor.

Crédito: Divulgação