Quase todos os vereadores presentes participaram da discussão do simples requerimento

Tunan Teixeira

 

Um requerimento de autoria do vereador Val Barbeiro (PHS), até então despretensioso, em que ele pedia informações sobre possíveis obras de reforma no Terminal Central, causou uma tremenda polêmica na Câmara Municipal de Macaé.

Quase todos os vereadores presentes à sessão da última quarta-feira, 11, participaram do debate que abordou diversos problemas do transporte público macaense, e até outros assuntos, como a presença dos ambulantes dentro do terminal.

“Na hora que bater fiscalização lá, as pessoas vão ficar sem trabalho”, comentou líder da situação, Dr. Márcio Bittencourt (PMDB), que chegou a dizer que não votaria favorável ao requerimento, confundindo o tema da proposição.

Até mesmo parlamentares que não costumam participar dos debates com tanta frequência, entraram na discussão, como Zé Prestes (PPS) e Luciano Diniz (PMDB), que fazem parte da Comissão de Transportes, que avaliou o estado das estruturas dos terminais da cidade e apresentou relatório à prefeitura.

“Nós da Comissão entregamos um relatório muito detalhado sobre as condições dos terminais. Esperamos que o governo possa voltar os olhos para essa situação”, falou Zé Prestes, que preside a Comissão.

A polêmica que causou confusão no líder governista da Câmara, a respeito dos ambulantes, foi levantada pelo vereador da oposição, Dr. Luiz Fernando (AVANTE), que também faz parte da Comissão.

“A Comissão de Transportes passou pelos terminais em março. Até agora, o prefeito não tomou qualquer iniciativa. Além da falta de segurança e de organização do comércio informal, o teto está em péssimas condições e pode desabar. Como o vereador Val disse, os banheiros estão em estado crítico, sem portas, sem luz. É gambiarra para todo lado”, disparou Dr. Luiz Fernando.

Sem Maxwell Vaz (SD), que assim como Alan Mansur (PRB), esteve ausenta da sessão devido a uma reunião com o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), as críticas ao governo ficaram por conta de Marcel Silvano (PT) e Marvel (REDE), que também usaram da palavra para apontar problemas no serviço de transportes públicos do município.

“O requerimento não trata dos ambulantes. É um assunto importante, mas no requerimento, a gente só está querendo saber se o governo tem previsão para começar as obras para reformar o terminal porque está perigosa a situação. A gente não fala dos ambulantes do requerimento. Só falamos das estruturas dos terminais”, defendeu Val, tratando de desfazer a confusão causada pela oposição.

Depois de quase 40 minutos de muita discussão, o requerimento de Val Barbeiro foi finalmente aprovado por 11 votos favoráveis e apenas 1 contrário, o ex-líder de governo, Julinho do Aeroporto (PMDB).

 

Mais polêmica – Nesta semana, as sessões ordinárias da Câmara Municipal de Macaé prometem ainda mais polêmicas, com as discussões sobre dois importantes projetos de lei de autoria do Executivo.

Um deles seria um novo projeto de reforma do Código Tributário, proposto pelo governo, que vetou o antigo projeto emendado pelos vereadores, veto esse que também ainda não foi apreciado pela Câmara. A informação sobre o novo projeto foi dada pelo próprio líder do governo no Legislativo.

Outro projeto que foi bastante discutido na última semana e que deve voltar à pauta para segunda discussão e votação é o que propunha nova carga horária para 3 categorias da Defesa Civil, Guarda Municipal e Secretaria de Mobilidade Urbana.

O projeto, que já foi lido no expediente, e já está tramitando na Câmara, teve ampliado seu prazo para emendas na última terça-feira, 10, pelo Presidente da Câmara, Dr. Eduardo Cardoso (PPS) e também deve ser votado esta semana.

Foto: Tiago Ferreira