Algumas empresas no nosso país estão recomendando não utilizar seus serviços enquanto durar o ataque

Sérgio Barcellos

Um ataque hacker tomou conta de diversos países da Europa nesta sexta-feira, dia 12. A onda de terror se espalhou e inclusive já geram impactos aqui no Brasil. Por medo de um ataque, funcionários do Tribunal de Justiça de São Paulo e do Ministério Público foram orientados a desligar os computadores e encerrar toda e qualquer atividade online.

Diante da medida, os computadores permanecem desligados até segunda ordem. A interrupção dos serviços gerou transtornos principalmente para advogados que precisam dos serviços jurídicos do Tribunal de Justiça de São Paulo. Os sites estão com instabilidades e os profissionais de direito não conseguem acessar os dados. Desde 2013, todos os processos são digitalizados.

Pouco se sabe sobre o ataque ou suas origens. Em um primeiro momento, as informações que chegam é que um tipo de vírus invade o computador e o deixa inutilizado. Para que o equipamento volte a funcionar, é cobrado o pagamento de uma determinada quantia em bitcoins, uma moeda internacional não controlado por nenhum governo.

Na Europa, um dos alvos dos ataques cibernéticos foram a Telefônica Espanha. Diante do ocorrido, a empresa emitiu uma nota oficial, onde deixa claro não haver indícios de invasão no Brasil.

“A Telefónica Espanha informa que na manhã de hoje foi detectado um incidente de segurança cibernética que afetou alguns computadores de colaboradores que estão na rede corporativa da empresa. Imediatamente, foi ativado o protocolo de segurança para tais incidentes com a intenção de que os computadores afetados voltem a funcionar o mais rapidamente possível. A Telefônica Brasil não foi impactada pelo incidente de segurança, mas, mesmo assim, está tomando medidas preventivas para garantir a normalidade de sua operação”, informou em nota.

Um dos primeiros ataques foi registrado no Reino Unido. De acordo com a rede de televisão BBC, o ataque pode ser considerado o maior em hospitais ingleses já visto até agora. Sob este cenário, o serviço de saúde pública pediu a população que apenas vá ao setor de emergência e de acidentes os casos extremamente graves. Os ataques já foram registrados em Londres, Manchester e várias outras cidades.

Em Portugal também há registros de invasões em diferentes empresas do país, entre elas estariam o banco Santander e a consultora KPMG. Aqui no Brasil, a telefônica VIVO foi uma das primeiras a se manifestar sobre o ocorrido. A operadora pede que seus evitam utilizar o serviços online nesta sexta-feira.